DestaquesDestinosO que fazerRio Grande do SulSalto do Yucumã

Salto do Yucumã, cerca de dois quilômetros de cachoeiras no sul do Brasil

Salto do Yucumã, cerca de dois quilômetros de cachoeiras no Rio Grande do Sul –  O Salto é a maior queda d`água em extensão longitudinal do mundo, são pouco mais de 1.800 metros de cachoeiras na divisa entre o Brasil e a Argentina. Assim como acontece em Foz do Iguaçu, a atração natural atrai viajantes dos dois países em ambos os lados do rio Uruguai.

Salto Yucumã, a maior que d`água em extensão do mundo.
Salto do Yucumã, a maior que d`água em extensão do mundo.

O Salto do Yucumã realmente é de uma beleza impressionante, mas se o compararmos com as Cataratas de Foz de Iguaçu, tem muito menos estrutura para o visitante por conta de restrições ambientais que inibem a exploração turística do local. Isso tem seu lado positivo, pois deixa a atração bem mais rústica e natural, ajudando na preservação do local e o deixando ainda mais atraente para amantes do ecoturismo, que preferem locais ao natural e preservados.

Porém, a questão do desconhecimento turístico faz com que não sejam destinados muitos recursos para área de preservação onde fica o Salto. Mas, particularmente, prefiro assim! Gostaria que muitos pudessem conhecer e viver a experiência que vivi por lá, mas se é pra preservar prefiro que continue do jeito que está, com menos estrutura, assim haverá visita somente dos verdadeiros apaixonados pela natureza, dispostos a apreciar sem depredar, ajudando a manter preservado todo o ecossistema da região.

Eu, fazendo uma foto do Salto Yucumã.
Olha eu aí fazendo uma foto do Salto do Yucumã (foto: EribertoJr)

ONDE FICA O SALTO DO YUCUMÃ

Realmente chegar no Salto do Yucumã não é muito fácil, localizado na cidade de Derrubadas-RS, uma cidadezinha com um pouco mais de 3 mil habitantes, a cerca de 483km de Porto Alegre, a 185km da cidade de Chapecó-SC e a 235 km da cidade de Passo Fundo. Estive por lá com meu amigo e fotógrafo Eriberto Jr. durante as gravações da websérie “De Carona com Walentina“, na ocasião dirigimos até a cidade vizinha Tenente Portela-RS, que fica a pouco mais de 15km de Derrubadas, onde resolvemos passar a noite por ter um pouco mais de estrutura hoteleira.

A entrada da cidade de Derrubadas-RS, onde fica o Salto Yucumã
A entrada da cidade de Derrubadas-RS, onde fica o Salto Yucumã

Parque Estadual do Turvo

O Salto fica dentro do Parque Estadual do Turvo, que abriga espécies de plantas e animais raros da nossa fauna e flora. O Parque em si já um atrativo bem legal, pois é possível conhecer um pouco mais desse ecossistema através de demonstrações e pequenas exposições na sede. Os guardas ambientais são sempre muito atenciosos e prontos para tirar qualquer dúvida, bater um papo com eles é praticamente uma aula. Eles realmente trabalham com muita paixão pelo que fazem, pois os recursos para manter o Parque são poucos, mas a dedicação dos profissionais envolvidos fazem com que o lugar seja muito bem cuidado, preservado e monitorado para estudos.

O parque ocupa uma área de cerca de 18 mil hectares na fronteira do Brasil com a Argentina. São centenas espécies de plantas, quase 30 espécies de mamíferos de médio e grande porte e cerca de 300 tipos de aves. Onças pintadas são regularmente vistas e monitoradas pelos biólogos do Parque e por isso, quase toda a área da reserva não pode ser explorada sem controle, nem mesmo para a visitação.

A entrada do Parque estadual do Turvo (a esquerda) e exposição na sede com amostras de animais do parque.
A entrada do Parque estadual do Turvo (a esquerda) e exposição na sede com amostras de animais do parque.

COMO CHEGAR NO SALTO DO YUCUMÃ

Para chegar no Salto do Yucumã é preciso ir até a cidade de Derrubadas-RS, do centro da cidade vá até o Parque Estadual do Rio Turvo (atenção ao horário de visitação, veja abaixo em “Dicas importantes”). Chegando lá os guardas ambientais vão orientá-lo a descer por uma estrada de terra (bem estilo Off-Road light) de cerca de 15km. Depois o carro é estacionado e é preciso fazer uma caminhada leve por um trecho a pé de cerca de 10 minutos, o que permite observar a fauna e a flora até chegar no Salto.

A estrada para chegar no Salto pode reservar boas surpresas na hora de observar animais silvestres locais
A estrada para chegar no Salto pode reservar boas surpresas na hora de observar animais silvestres locais
Depois de estacionar o carro, é preciso fazer uma pequena caminha até o Salto. Ótima oportunidade de observar a fauna e flora do parque.
Depois de estacionar o carro, é preciso fazer uma pequena trilha até o Salto. Ótima oportunidade pra observar a fauna e a flora.

O SALTO DO YUCUMÃ

O Salto do Yucumã é maior queda d`água em extensão longitudinal do mundo, tem quase 2km de extensão e a altura das quedas depende muito da vazão do rio Uruguai. A vazão do rio é influenciada de forma natural pelas chuvas ou de forma artificial, por conta da abertura ou fechamento da barragem da usina Foz de Chapecó. Quando a barragem necessita abrir suas comportas, isso aumenta o volume de água do rio, fazendo com que a fenda que forma o Salto (de cerca de 110m de profundidade) fique cheia e as quedas “desapareçam”. Sendo assim, a altura das quedas do Salto pode variar de acordo com época de chuvas ou da barragem, chegando até 20 metros de altura. No dia em que estivemos por lá demos um pouco de falta de sorte (ou não, pois poderíamos não ter visto nada), mas até que conseguimos ver o Salto com cerca de uns 4 metros de altura, o que já valeu bastante para apreciar o visual.

O Salto do Yucumã
O Salto do Yucumã (foto: Eriberto Jr)

Como disse anteriormente, o Salto não tem nenhum estrutura turística, então o único modo de aprecia-lo é ficando nas pedras que beiram o rio Uruguai. Mas cuidado pois as pedras estão sempre molhadas por conta da variação das águas do rio e por isso as tornam escorregadias em vários pontos.

Possivelmente você vai se deparar com barcos de turistas apreciando as quedas e vai se perguntar “Por que não fiz esse passeio? Como posso fazer?”. Calma, você não teria como fazer mesmo, pelo menos não pelo lado brasileiro onde a navegação naquele trecho do rio é proibida. Se tiver um barco de turista ali ele veio do lado argentino, pois lá existe infraestrtura turística, onde além do tour de barco é possível fazer trilhas, passeio à cavalo e rafting, tudo isso saindo da cidade de El Soberbio, que fica na província de Misiones. No lado do Brasil existe um estudo (e a promessa) de criar um pouco mais de infra para o visitante, até já foi criada a chamada “Rota do Yucumã” que envolve 33 municípios da região, mas que efetivamente não oferece muitos atrativos aos viajantes.

Mas em compensação o lado brasileiro fica na margem com nível inferior da fenda que forma o Salto, criando uma vista muita mais bonita das quedas. E posso dizer que o Salto do Yucumã é um dos lugares, com beleza natural, mais fantásticos que eu conheci. Foi realmente uma experiência fantástica!

O passeio de barco só é possível fazer saindo pelo lado argentino.
O passeio de barco só é possível fazer saindo pelo lado argentino (foto:Eriberto Jr.)
O Salto é um lugar para contemplação e amantes da natureza. na foto, meu amigo e fotógrafo Eriberto Jr em ação.
O Salto é um lugar para contemplação dos amantes da natureza. Na foto, meu amigo e fotógrafo Eriberto Jr em ação.
Um biólogo e um guarda ambiental nos acompanharam e deram muitas informações. Nesta foto, resgatamos um peixe preso nas pedras  e o devolvemos ao rio.
Um biólogo e um guarda ambiental nos acompanharam e deram muitas informações. Nesta foto, vimos um peixe preso nas pedras e o ajudamos a voltar pro rio.

DICAS IMPORTANTES SOBRE O SALTO DO YUCYMÃ

A melhor época pra visitação -  A melhor época é de Novembro a Abril, quando as águas estão mais baixas, pois nos meses de inverno as cheias fazem subir o nível do rio, cobrindo a visão das quedas. No nosso caso, fomos em agosto e demos sorte de ver pelo menos 4 metros de queda, mas poderíamos não ter visto nada se o volume do rio estivesse maior.

Onde dormir – Não é permitido acampar no Parque e a cidade de Derrubadas não tem muita infraestrutura turística, então aconselho ficar na cidade Tenente Portela, que fica a cerca de 15km de lá. Nossa opção foi ficar no hotel Aracê, que tem quartos simples, mas bons e com preços razoáveis.

Horário de visitação –  O horário de visitação pública é de 4ª-feira a domingo das 8h às 18h. A entrada poderá ocorrer somente até às 16h30. Mas a dica é chegar cedo, pois por volta de 17h00 o pessoal do Parque já percorre as trilhas para avisar que é preciso se preparar pra sair. Então, o melhor é ir de manhã para poder curtir ao máximo!

Valor do ingresso do Parque do Turvo – Os valores estão atualizados (set/2015), mas confira possíveis mudanças no site da Secretaria do Ambiente-RS

  • Moto: R$ 8,70
  • Automóvel: R$ 14,30
  • Utilitário para transporte de passageiros: R$ 47,65
  • Micro-Ônibus: R$ 95,10 
  • Ônibus: R$ 189,90

Alimentação – Não existe nehum bar ou restaurante no Parque, então é preciso levar seu lanche e água para o período que ficará por lá. Mas não esqueça de levar um saco de lixo para trazer de volta todo o seu lixo. No estacionamento do parque, antes do Salto, existe uma pequena estrutura com banheiros, mesas e uma churrasqueira coberta que pode servir de apoio para o momento da refeição.

Banho no rio – Muito cuidado, a correnteza é bem forte e tomar banho no rio perto do Salto nem pensar!!! A melhor coisa a fazer é se orientar com os guardas ambientais, mas se você seguir acima à direita das quedas, onde o rio é mais largo e raso, acredito ser possível aproveitar para mergulhar. Ao lado do local da churrasqueira existe a entrada de um trilha de cerca de 200m, que desce um barranco até chegar no leito do rio. Mas como eu disse antes, SOLICITE INFORMAÇÃO para os guardas ambientais antes de se aventurar num mergulho!

Por onde chegar – Os aeroportos mais próximos ficam em Passo Fundo-RS (235km) e Chapecó-SC (181km), depois disso o melhor é alugar um carro e colocar pé na estrada! Mas se você vier por por Porto Alegre, sugiro fazer uma roadtrip e adicionar outras atrações no roteiro, pois pra chegar no Salto do Yucumã, vindo da capital gaúcha, são cerca de 483 km. É uma bela viagem com boas estradas e ótimos lugares para visitar no caminho!

Eu (Fábio Lima) e Eriberto Jr. (meu amigo de viagem e fotógrafo) no Salto do Yucumã.
Eu (Fábio Lima) e Eriberto Jr. (meu amigo de viagem e fotógrafo) no Salto do Yucumã.

Boas Viagens e lembrem-se….Seu destino é você quem faz!
 
VIVA EXPERIÊNCIAS intrip.com.br
CURTA facebook.com/intripBR
SIGAtwitter.com/intripBR
VEJA instagram.com/intripBR
ASSISTA: youtube.com/intripBR
Post anterior

Onde ficar em São João Del Rei ( Minas Gerais )

Próximo post

Califórnia: Roteiro de 4 dias de São Francisco a Los Angeles