O que fazerSão Paulo

Roteiro à pé pelo centro da cidade de São Paulo.

Fazer um Roteiro à pé pelo centro da cidade de São Paulo é uma forma diferente de viver uma boa experiência na maior cidade do país. A cidade oferece atividades de todo os tipos e gostos, desde arte, gastronomia, cultura ou noitada, até muitos pontos históricos. E foi justamente procurando conhecer um pouco mais sobre a história local que resolvemos entender melhor o que um dia em São Paulo poderia oferecer. E para nossa surpresa a cidade acostumada por ter um ritmo acelerado, com pessoas focadas no trabalho e de trânsito intenso, nos mostrou uma riqueza incrível em história e cultura por suas ruas.

Edifício Itália e Edifício Copan
Edifício Itália e Edifício Copan

Escolhemos fazer um roteiro à pé por acreditarmos que fazer isso te faz ficar bem próximo das pessoas locais e do cotidiano da cidade. O ideal é você procurar alguma empresa especializada nesse tipo de passeio ou então contar com a ajuda de alguém local. No nosso caso nós conhecemos muitos amigos blogueiros de São Paulo e também vamos com frequencia à trabalho por lá, isso ajuda a saber se locomover e a chegar nos pontos de interesse.

O ROTEIRO PELO CENTRO DE SÃO PAULO

Nosso roteiro é pelo centro da cidade, onde há vários pontos históricos, vamos passar por locais como a Praça da RepúblicaEdifício Itália, Edifício Copan, Praça do Patriarca, Pátio do Colégio, Casa da ImagemBeco do Pinto, Solar da Marquesa de Santos, Casa nº 1 de São Paulo, Marco Zero de São Paulo e a Catedral da Sé. Vamos passar também por ruas famosas como a Av. IpirangaRua Barão de Itapetininga, Rua Direita, Praça da Sé e almoçar no famosos bairro da Liberdade.

O INÍCIO

Já que você vai caminhar, o ideal é você já optar por ir de metrô até o local de início, então para começar o nosso roteiro à pé vamos usar a estação de metrô da República como ponto de partida. Saindo dali, o primeiro ponto vai ser a Praça da República, uma região muito tradicional e famosa, onde antigamente os paulistanos se reuniam para assistir touradas e rodeios. Atualmente, aos sábados, acontece uma feira de artesanato, com cerca de 500 barraquinhas.

EDIFÍCIOS ITÁLIA E COPAN

Seguimos adiante e fomos andando até a frente de dois dos mais famosos prédios de São Paulo, o Edifício Itália e o Edifício Copan. O Ed.Itália tem 46 andares e é um patrimônio histórico, pois sua edificação é considerada um dos maiores exemplos da arquitetura verticalizada do Brasil. O edifício ainda trás no último andar um dos mais famosos restaurantes da cidade, o Terraço Itália. Ao lado dele fica o também famoso Edíficio Copan, um dos mais importantes e emblemáticos da cidade, foi projetado por Oscar Niemeyer e por isso suas curvas são uma das marcas registradas. O Copan tem 35 andares, sendo 3 comerciais e o restante residenciais.

Edifício Copan - São Paulo
Edifício Copan – São Paulo
 Edifício Itália - São Paulo
Edifício Itália – São Paulo

 

NAS PROXIMIDADES DO VIADUTO DO CHÁ

Continuamos nosso roteiro à pé, passando pela famosa Avenida Ipiranga e depois seguimos para a região da Barão de Itapetininga, lá existe um forte comércio informal e prédios bem antigos e históricos que nos rendeu grandes fotos. Mais adiante já avistamos o Teatro Municipal de São Paulo, que dispensa qualquer tipo de comentário, pois além de ser emblemático é lindo. Nosso roteiro segue agora pelo famoso Viaduto do Chá, o primeiro viaduto da cidade e que tem esse nome pois atrás dele havia o Morro do Chá, onde existia uma chácara de cultivo de chá.

Teatro Municipal de São Paulo
Teatro Municipal de São Paulo
Região da Rua Barão de Itapatinga
Comércio informal na Região da Barão de Itapetininga
Comércio informal na Região da Barão de Itapetininga

 

 

PÁTIO COLÉGIO e CASA DA IMAGEM

Nosso roteiro chega agora ao famoso Pátio do Colégio, onde foi levantada a primeira construção da atual cidade de São Paulo, quando padres jesuítas, a pedido de Portugal, estabeleceram um núcleo para catequizar indígenas locais. Logo ao lado pudemos visitar a Casa da Imagem, que reúne um acervo incrível e ainda promove a preservação, pesquisa e difusão da memória da cidade. Colado na casa está o Beco do Pinto, uma antiga passagem entre o Solar da Marquesa de Santos e a Casa nº 1 de São Paulo. Na época era uma passagem para o trânsito de pessoas e animais, ligando o largo da Sé à várzea do rio Tamanduateí, atualmente é utilizado para abrigar projetos de artistas contemporâneos desenvolvidos especialmente para o espaço.

Região do Pátio Do Colégio, onde a cidade “nasceu”
Beco do Pinto, do lado da Casa da Imagem
Eu (Fábio Lima) visitando o Pátio Colégio (ao fundo)
(Fábio Lima) visitando o Pátio Colégio (ao fundo)

 

NA PRAÇA DA SÉ

Caminhamos agora para a última parte do nosso roteiro, chegamos na Praça da Sé, que é considerado o centro geográfico da cidade, onde encontra-se também o Marco Zero da cidade, pois é a partir dele que contam-se as distâncias de todas as rodovias que partem de São Paulo e também a numeração das vias públicas da cidade. Porém, o que mais impressionou foi a beleza imponente da Catedral da Sé.

Praça da Sé
Praça da Sé
Catedral da Sé
Catedral da Sé
Marco zero da cidade de São Paulo
Marco zero da cidade de São Paulo

 

BAIRRO DA LIBERDADE

Para finalizar esse tour, dali optamos por ir até o bairro da Liberdade, o maior reduto da comunidade japonesa de São Paulo, levando em consideração que a cidade tem a maior colônia japonesa fora do Japão, dá pra se ter uma boa noção do quanto da cultura japonesa é possível encontrar por lá. Resolvemos almoçar no bairro, no Restaurante Nandemoyá (R. Américo de Campos, 9 – Liberdade – SP (11) 3208-8604) que opera pelo sistema self-service com uma grande variedade de pratos típicos da culinária japonesa no bufê. Os que mais saem são sushi, sashimi e tempurá.

Bairro da Liberdade e suas tradições da comunidade japonesa.
Bairro da Liberdade e suas tradições da comunidade japonesa.

 

DICAS FINAIS

Nós conseguimos realizar esse roteiro na parte da manhã, finalizando na hora do almoço por volta de 13h30, mas claro que a duração depende muito do ritmo de sua caminhada e quanto tempo você vai gastar em cada lugar. Em alguns pontos observamos policiais e guardas municipais, porém, por se tratar de uma região central da cidade, sabe-se que existem índices altos de assalto, então o melhor a fazer é ir com um guia ou amigos locais, de preferência vá em grupos para poder ficar mais tranquilo na hora de tirar sua máquina da mochila para fazer suas fotos!

Achamos algumas boas informações detalhadas e históricas sobre alguns lugares que vistamos no site deles, então fica a dica caso você queira saber também mais sobre a Catedral da Sé e o Edifício Itália, por exemplo.

PARCERIA
O conteúdo deste post é oferecido a vocês através da parceria do Expedia Brasil com o INTRIP.

Boas Viagens e lembrem-se….Seu destino é você quem faz!
 
VIVA EXPERIÊNCIAS intrip.com.br
CURTA facebook.com/intripBR
SIGAtwitter.com/intripBR
VEJA instagram.com/intripBR
ASSISTA: youtube.com/intripBR
Post anterior

Restaurante Os Esquilos. Boa gastronomia na Floresta da Tijuca

Próximo post

Stand up paddle fora das praias. Fomos remar no mangue!