DeCaronaSem categoriaWebsérie

Chegando na Praia do Rosa (#DeCarona)

Nossa viagem chega ao seu quarto dia! Depois de sairmos de Curitiba, onde tivemos um final de semana incrível com os amigos blogueiros (Leia o post anterior), pegamos a estrada em direção a Praia do Rosa em Santa Catarina. Nossa ideia é mostrar por lá, mais do que normalmente é conhecido da região, que fica lotada no verão. Queremos conhecer a região através das pessoas locais, queremos entender realmente essência do lugar.

Para isso tivemos a sorte de conhecer duas pessoas incríveis, a Mara Lucia e a Rô Reis, que são sócias da pousada e restaurante  Prazeres do Rosa. Elas nos recepcionaram como se estivessem nos recebendo em sua casa e prepararam uma programação de atividades que era de fazer inveja a qualquer operadora de turismo! Muito bom conhecer a cidade através de amigos locais!

Walentina chegou na Praia do Rosa (foto: Eriberto Almeida Jr)
Walentina chegou na Praia do Rosa (foto: Eriberto Almeida Jr)

Chegamos numa segunda-feira a noite e justamente por isso achei que não iriamos conseguir fazer mais nada, que teriamos esse dia perdido só para rodar na estrada! Que nada! Primeiro fomos recepcionados por elas e logo conhecemos o restaurante, um lugar belíssimo com riqueza de detalhes em sua decoração! Depois de alguns minutos de papo, a chef Rô nos falou para escolhermos um prato para o jantar, mas eu falei que aceitaria a sugestão dela.  Ela preparou então um filet de peixe com molho de palmito, que realmente é um sabor que não se explica! Já o Eriberto, comeu um prato chamado “camarão ao diable”, que segundo ele, o sabor da páprica picante deu um toque especial! O impressionante foi a rapidez que a chef preparou tudo pra gente, com tanta qualidade e habilidade!

A competente e simpática chef Rô Reis (foto: Eriberto Almeida Jr)
A competente e simpática chef Rô Reis (foto: Eriberto Almeida Jr)
Os pratos prontos para irem à mesa (foto: Eriberto Almeida Jr)
Os pratos prontos para irem à mesa (foto: Eriberto Almeida Jr)
Camarão com tempero especial (foto: Eriberto Almeida Jr)
“Camarão ao Diable” com tempero especial (foto: Eriberto Almeida Jr)

Pensamos que a noite se resumiria a esse bom papo e a ao jantar, mas não, nosso comitê de boas vindas ainda reservava mais pra gente! Fomos na casa de Lizete Vicari, mas conhecida como “Lili”, uma produtora de um vinho artesanal chamado Domínio Vicari, que tem todo o processo feito em sua casa. Ela nos recebeu com muita simpatia e nos mostrou onde é produzido seu vinho. Explicou cada passo do processo, que é bem interessante e tem como características manter tudo de forma muito natural sem levar nenhum tipo de química, como ela mesmo diz, “tem tantas propriedades naturais, que esse vinho é quase um remédio! Faz bem pra saúde!”

Chegamos na casa da Lili, uma produtora artesanal de vinho (foto: Eriberto Almeida Jr)
Chegamos na casa da Lili, uma produtora artesanal de vinho (foto: Eriberto Almeida Jr)

walentina_intrip_lili_Na estante

Cada detalhe do processo é pensado e feito manualmente, até a forma de lacrar as garrafas é diferente, pois é colocada cera de abelhas para vedar. As uvas não ficam ali, elas vem lá de Bento Gonçalves em caminhão refrigerado e cada tipo de uva tem suas características e são tratadas de maneiras especiais para aproveitar cada propriedade e gerar maior qualidade ao vinho. Todo o processo para amassar a uva pode ser feito do modo tradicional (com os pés) ou através de uma máquina.

Hora da  degustação e verificar o vinho pela rolha (foto: Eriberto Almeida Jr)
Hora da degustação e verificar o vinho pela rolha (foto: Eriberto Almeida Jr)
Hora de despedir da Lili e seguir em frente! (foto: Eriberto Almeida Jr)
Hora de despedir da Lili e seguir em frente! (foto: Eriberto Almeida Jr)
Os tonéis para decantação do vinho (foto: Eriberto Almeida Jr)
Os tonéis para decantação do vinho (foto: Eriberto Almeida Jr)

O vinho realmente é muito bom, tanto que o cantor Ed Motta é um dos maiores consumidores, defensores e divulgadores. Além disso, Lili foi convidada para ir a França neste ano(2014), para participar da produção de um vinho junto com um dos maiores especialistas no assunto. O Vinho será produzido em unidades limitadas e ficará em processo de envelhecimento por 10 anos! Esses vinhos receberão o rótulo de Elephant Vicari e para isso Lizete criou uma mandala decorativa para a comemorar a data.

Aliás, artesanato é outra especialidade dela, sua casa é praticamente um ateliê de artesanato em argila com produções lindissímas e ela ainda mantém uma fanpage (Lili D`argile) com todas suas obras. Inclusive uma dessas peças deu origem ao que hoje é o símbolo no rótulo de seu vinho.

Artesanato é a outra paixão da Lili (foto: Eriberto Almeida Jr)
Artesanato é a outra paixão da Lili, as mandalas gigantes são sua marca (foto: Eriberto Almeida Jr)

Essa foi apenas nossa chegada na Praia no Rosa! Isso tudo aconteceu em uma noite, ou seja, no dia seguinte teriamos muita coisa programada para fazer, pois vamos em uma cidade próxima chamada Garopaba, onde veremos praias lindas e conversaremos com algumas pessoas locais que conhecem tudo sobre as historias da região! Além disso vamos tentar ver algumas baleias Francas, que são comum nessa época do ano aqui na Praia do Rosa! Será que rola?! Walentina vai rodar bastante nesse dia seguinte! 

 
Essa história faz parte do projeto “De Carona Com Walentina
 
Boas Viagens e lembrem-se….Seu destino é você quem faz! 
 
VIVA EXPERIÊNCIAS intrip.com.br
CURTA facebook.com/intripBR
SIGAtwitter.com/intripBR
VEJA instagram.com/intripBR
Booking.com
Post anterior

De Carona....Walentina caiu na estrada!

Próximo post

Drops #2: Walentina passou por Curitiba