CorrespondentenormalTunisia

Tunisia: E as pessoas, como são?

Você que está acompanhando nossa série sobre a Tunisia, já leu que nossa correspondente Luanda Pereira decidiu viajar e o que precisava saber quando foi pra lá (Leia o primeiro post) e depois sobre qual foi a primeira impressão dela em seu desembarque no país (Leia o segundo post).

Agora, neste terceiro post, Luanda nos conta como é o povo por lá! Será que eles são receptivos, será que é uma população fechada e com costumes rígidos que possa atrapalhar sua viagem? E como será a questão de relacionamentos por lá? Será que os solteiros vão se dar bem, será que é possível curtir uma noitada por lá?!

Vamos conferir tudo isso nesse post!

Boa Leitura!
Editor blog intrip

intrip_pessoas_tunisia_3Centro de Tunis – arquitetura inspirada na França

Adivinha como são as pessoas por lá!? Normais! Pois é, digo isto porque é um país árabe e todo mundo que sabia da minha viagem ficou preocupadíssimo com o possível choque de culturas e mulheres de burca versus meu teor de brasilidade. A Tunísia está realmente muito a frente dos outros países árabes e tem muita influência européia, tanto na arquitetura quanto na cultura, mas equilibradamente misturado e conservado com a cultura árabe. É uma mistura lindíssima de se ver, sentir e fazer parte.

Durante toda a minha viagem, eu vi apenas três mulheres usando Niqhab (conhecido por aqui como burca), e meus amigos muçulmanos me garantiram que isso é um conceito distorcido do islamismo, que o Alcorão é um livro que está sujeito à interpretação humana, assim como a Bíblia, então cada um entende o que quer. Muitas mulheres usam de fato o Hijab, que é aquele lenço em volta da cabeça, que esconde apenas o cabelo. Ele não é obrigatório, é na verdade um símbolo de fé, que demonstra o quanto tal pessoa está comprometida e dedicada à sua crença. Todas as mulheres que vi esbajam feminilidade, mesmo as que usam lenço, sempre preocupadas em combinar as cores com sapato/bolsa/cinto, são estilosas.

tunisia_3_intrip_mulheresMulheres tunisianas de Hijab (lenço na cabeça) apenas como ato de fé.

As tunisianas são lindas, mas por motivos de cultura e religião, são quase inacessíveis, então tudo só rola depois do casamento, o que resulta em tunisianos carentes que olham para qualquer mulher como se ela fosse um copo d’água no meio do deserto. Não estou dizendo que as pessoas não namoram, nem que não existe pegação, mas lá tem que ser tudo feito bem escondido ou em uma das poucas boates que permitem essas coisas meio que na surdina.

Nas ruas da Tunísia não se pode beijar na boca, andar de mãos dadas, nem expressar nenhum tipo de carinho homem/mulher. Se você for pego, dois meses de cadeia. As leis governamentais dizem que só é permitido ter relacionamento sexual após o casamento. Leis governamentais, e não religiosas. Então é sério gente, brasileiros e brasileiras muita calma nessa hora, temos sangue quente e queremos sair apertando e beijando todo mundo, ó, não pode. Isso não me impediu de abraçar todo mundo que vi pela frente, mas parou por aí, vai que né…

intrip_tunisia_3_pessoasVista de um café na Avenida Habib Borguiba

Por lá encontrei muita gente educada e fui muito bem tratada em todos os lugares que fui, mas lembrem-se que sou mulher e isso facilita um pouco as coisas. Outra coisa é que todo mundo lá achou que eu era tunisiana ou de origem árabe, o que foi legal na maioria dos momentos, mas no fundo rolava uma vontade de andar com uma camisa escrito “orgulho de ser brasileira”.

Se você é mulher e estiver sozinha, ou em um grupo de mulheres, prepare-se para ser educadamente abordada por algum tunisiano, que irá tentar te convidar para tomar um café, chá ou até mesmo uma cerveja. Se ele descobrir que você é turista, vai querer te levar para passear pela cidade e te levar onde você quiser. A maioria deles é do bem e sincero, cabe ao seu julgamento decidir como lidar com a situação, eu não aceitei nada porque desde criança fui ensinada a desconfiar até da minha própria sombra.

Em geral você encontra muitas pessoas dispostas a ajudar, mesmo as que não falam inglês tentam se comunicar com você de alguma forma. Se o francês não servir, partem pra mímica, igual a gente faz por aqui!

 

 

TEXTO ESCRITO PELA CORRESPONDENTE:

Luanda

Luanda Pereira,

Sou feliz, designer/webdesigner, arquiteta de informação, corredora (faço 5km em 32′ ) e sou uma futura gostosa.

 

Boas Viagens e lembrem-se….Seu destino é você quem faz!

VIVA EXPERIÊNCIAS: intrip.com.br
CURTA facebook.com/intripBR
SIGA twitter.com/intripBR

 

Post anterior

Viajante Sangue bom

Próximo post

Como subir a Pedra do Sino