BarcelonaCorrespondenteEspanhanormal

Barcelona: Dia dos namorados diferente

saiJordi_foto01Barracas em “Las Ramblas” com as cores da Catalunha (foto: Reprodução da internet)

Depois de algum tempo afastado (provavelmete bêbado e dormindo em algum bar da cidade) nosso correspondente na Espanha (Vulgo: Homer), voltou a mandar notícias de Barcelona! E não é que nosso amigo, considerado quase um “Ogro latino” mostrou seu lado “quase romântico”nesse texto! É porque eles nos conta sobre o tradicional dia de Sant Jordi , um dia dos namorados bem diferente que acontece por lá!

Vamos ver o que nosso amigo tem a nos dizer sobre essa festa….


Saudações, cidadãos!

Sei que fiquei em silêncio um bom tempo, muita coisa rolou, mas agora voltei. Aproveitando que dentro de 15 minutos oficialmente começa a primavera aquí em Barcelona (exatamente às 12hrs do dia 12 de abril), acho que é um momento interessante pra dar novas dicas pra galera que vem à Barcelona.

Esses catalães de bobo não têm nada; já viram alguma festa que promove o amor e o maior beneficiário seja o homem? Pois é, existe, é celebrado cada dia 23 de Abril em Barcelona e se chama Diada de Sant Jordi (São Jorge, para nós). Funciona da seguinte forma: o casal deve entregar “mutuamente” um presente, sendo que o homem dá à mulher uma rosa (uma, e não um bouquet!), enquanto ela dá 1 livro ao homem. Pode-se dizer que é o único dia do ano onde a rosa custa uns 3-4 euros/unid, mas ainda assim saímos ganhando. Já era hora.

sant-jordi_foto03Livro para todos os gostos (foto: internet)

O certo é que a cidade “respira amor” (ai, que bonitinho!). Só se vêem casaizinhos de mãos dadas nas ruas. Elas todas felizes com sua rosa (que aliás aquí usam muito a imaginação no quesito cores: rosa, vermelha, azul, verde, amarela, bicolor…). Ele, com ar de conquistador com sua “princesa amada” ao lado (ai, que bonitinho 2!). Vários quiosques de ciganos vendendo rosas ao olho da cara e muito beijo na boca. Já até vi avionete na orla da praia com mensagem romântica. “Love is in the air“, literalmente.

E o bom tempo acompanha, fazendo com que o dia seja realmente muito agradável. Algumas empresas até liberam os trabalhadores saírem um pouquinho antes para que possam estar com a amada (ai, que bonitinho 3; e chega!).

IMPORTANTE: o preço da rosa varia de acordo com diversos fatores:

A- a hora em que se compra (não é a mesma coisa ir de manhã – uns 3 ou 4 euros – que ir de tardinha – pode até encontrar por 1 euro)
B- a pinta de gringo que você pode dar (lembrem-se que a maioria das barracas são de ciganos….esses sabem o que fazem)
C- a cara de desespero que você pode transmitir, principalmente por não estar encontrando mais nada decente (idem ao parêntesis acima)
D- o humor do vendedor nesse momento – coisa bem normal por aquí.

Também existem barraquinhas de livros espalhadas pela cidade – Las Ramblas é o foco. Por alguma razão – que não parei muito para pensar, na verdade – essas barraquinhas não são de ciganos…mistééério! Confesso que não sei a dinâmica de preços, mas acredito que seja diferente das rosas – planta tem validade, livro não.

saintJordi_foto02Curiosas rosas são vendidas nesse dia (foto: reprodução)

A história diz que Sant Jordi ia salvar sua princesa amada das garras do dragão. Ao matá-lo, o sangue derramado ao cair no chão fez com que nascesse uma rosa. Daí a mostra de amor ao dar a rosa à dama. Mas e o livro? Saiu de onde?
Ah, amigo, mais uma grande jogada de marketing…começou na década de 20 (precisamente em 1923) através de um escritor catalão chamado Vicent Clavel Andrés. Ao coincidir com o aniversário da morte de Shakespeare e Cervantes (na verdade, é curioso) ele decidiu que para homenagear a literatura nada mais óbvio que se presenteie com livro. E como a mulher já tinha o seu presente, pois cabe à ela agora ser quem repita o gesto. Que malandro! Isso gera nada mais nada menos umas 400 mil unidades vendidas de livros só nesse dia – um 10% de toda a venda anual da Catalunha (também é certo que ficou conhecido como o Dia do Livro desde 1995).

Sem contar que a Diada não é só a festa do amor, senão da cultura catalã em si. Desde aulas grátis de catalão, à mostras de gastronomia típica, danças (é engraçado ver a sardana), recitais feitos por poetas fantasiados nas ruas, escritores dando autógrafos nas barraquinhas, ônibus com a senyera (a bandeira catalã) pra cima e pra baixo….A cidade se veste de vermelho e amarelo.

Voltando ao elemento amor, você então vai passeando com teu amorzinho por aí, cada um com seu presentinho e é quando a única vantagem que nós homens tínhamos nesse dia acaba: vocês entram para comer/beber alguma coisa; ou melhor ainda: jantarzinho romântico. Existem vários restaurantes com seus menus especiais para esse dia, obviamente o preço pode subir um pouquinho, mas quem acaba pagando a conta no final??? Nem preciso responder, né? Mas enfim, tudo vale em nome do “amor”.

Nota pessoal 1: para jantar num bom restaurante sem problemas, o ideal é reservar uns 2-3 dias antes. Se for procurar na “hora H” vai ser mais complicado. Tá tudo muito cheio, aí começa a espera, fome, impaciência… o romantismo vai pro cacete. Restaurantes legais: LA FONDA, ÀPAT, SEMPRONIANA, etc…
VEJA AQUI uma lista com alguns restaurantes

Nota pessoal 2: ainda bem que existem cada vez mais mulheres conscientes da igualdade e que não deixam que o homem pague tudo sozinho. Dividem. As européias estão mais acostumadas à isso – que me perdoem as brasileiras, mas é verdade.
Você até pode ter a sorte grande de que ELA pague tudo….neste caso, case com ela!

sant jordi_foto04“LAs Ramblas” pipocando de gente! (foto: reprodução)

E para terminar, a melhor maneira de finalizar um dia tão “nheco-nheco” como esse é….bem, muita gente achava que não, mas em Barcelona existem motéis sim! (tem vários nomes, mas a mesma função). Aqui alguns: HM 14, LA FRANÇA, etc….
VEJA AQUI a dicas de alguns hóteis (“móteis”)

É isso aí, espero que possam aproveitar esse dia dentro do período que antecipa o momento mais desejado pelo povo daqui. Os espanhóis dizem: “Com a primavera, o sangue altera”. E é totalmente certo!

Valeu!
H.S.

TEXTO ESCRITO PELO CORRESPONDENTE:

Homer. S.
Ele saiu em busca de novas aventuras, bares, bebidas, comidas (hummmm), mulheres (hummmm 2) e claro, experiencias inesquecíveis que só viajando se consegue. Ah, e idiomas, que por enquanto, já vão 7! E subindo!

Post anterior

Viajantes se encontram no Rio

Próximo post

VIDEOS: Encontro de Viajantes e Ogros