BarcelonaBeber & ComerCorrespondenteEspanhaFestivaisO que fazer

Barcelona: Festa La Mercé 2012 – Parte 2

A festa La Mercé, acontece em setembro na cidade de Barcelona e rola muita música e diversão espalhada em vários pontos da cidade! Nosso correspondente na Espanha (Vulgo: Homer), nos contou um pouco sobre essa festa em seu primeiro post aqui e agora volta para concluir com informações bem importantes sobre alguns desses pontos onde tudo acontece….

Vamos ao novo texto do “Homer”…..

Saudações cidadãos!
Voltamos com a 2ª parte do nosso guia pra La Mercé em Barcelona. Estavam ansiosos, né? Eu sei…Então, vamos lá, porque tempo é dinheiro!

PLAÇA DEL PI.

Um esconderijo bem atrás da Catedral, um cantinho com palco e 2 ou 3 bares em volta (mais a barraquinha e os “pakis”, claro) que é show de bola. Hora recomendada de ir é até meia noite no máximo, inclusive melhor às 10hrs (mas olha a programação antes). Ali é para esquentar os motores; dependendo da hora, pode ir pra qualquer praça perto pra aproveitar o fim da noite – tem várias.

PLAÇA REAL

Mais ou menos a mesma dinâmica de horário, sendo que tem 1 dia em especial que sempre tem uma banda mais famosa. Rodeada de bares pelas 4 paredes, fica moleza beber bem. São 2 lugares imperdíveis: bar Glaciar (com cerveja e bebida baratinha) e o Sidecar (que é show a nível de música, e também tem bebida a bom preço). NÃO beba no bar Cerveceria Colón que fica logo na entrada da praça, à esquerda: é só para “turistas mané” – te antedem mal, é caro e ruim! Dali é mole ir pro Raval, com mais opções – mas não vou entrar em detalhes nisso. Pergunta, pô!


CIUTADELLA

Aquí é o mix de espetáculo + beber + comer. O parque em si vale a pena sempre, mas na festa ganha uma importância fundamental porque na entrada principal (perto do Arco del Triunfo) é onde existe o tradicional jogo de luzes que é simplesmente espetacular; cada ano eles viajam na maionese com projeções F….! Tem que ver, mas é cedo, acho que umas 8 ou 9hrs (olha a web, porra). Dentro do parque tem shows e também sempre uma performance importante que vale a pena. Além de poder comer desde sandubas à carne na brasa (???) e alguns outros pratos (espero que esse ano não mudem, senão fico mal na fita).

MOLL DE LA FUSTA

Esse para mim é fechar com chave de ouro o ciclo. Diz a lenda que SEMPRE chove no último dia da festa por ciúmes da outra Santa de Bcn (Montserrat, que é a oficial, na verdade). E é certo, dos anos que estou aquí só 2 não choveram. Isso não tem nada a ver com o lugar, tô contando porque lembrei agora do nada e, também, pra que esse guia tenha um pouquinho de história e cultura, né?

 

Enfim, aquí é o seguinte: rola durante todo o fim de semana uma degustação F…. de vinhos e cavas (um tipo de champagne) que ninguém deveria deixar de ir. Funciona como o nosso patético sistema brasileiro de tickets, com a diferença que se compra uma cartela com vários, e em cada barraquinha se paga um numero X de tickets por consumação. Também se pode comer – queijos, embutidos, etc – e é pra ficar chapado com estilo, ou realmente apreciar excelentes vinhos.

Nota pessoal: o melhor dia pra ir é o último. Porque? Primeiro, porque você passou dias bebendo pra caramba e fecha com um bom vinho, que entra melhor. Segundo, porque é fácil conseguir tickets grátis (isso mesmo) de gente que já esteve outros dias e simplesmente não vai usar mais (ou sei lá porque te dão essa porra, o fato é que várias vezes já me deram; geralmente velinhos). E terceiro e último, porque você pode negociar mais fácil tudo: as consumações e as garrafas – que TEM que comprar; não seja mané e leve no mínimo 1 garrafa de lembrança pra alguém no Brasil!). Ah, a taça e o pratinho eles dão de recordação – em casa eu tenho um monte!

 

Bem, acho que pra um 1ª guia já valeu, né?
Me falaram pra escrever umas 2 páginas, mas me empolguei, e como vocês notaram, falo pouco…

Espero que aproeveitem bem esses dias e em breve eu volto com mais dicas pra galera!!!

 

Fui!

H.

TEXTO ESCRITO PELO CORRESPONDENTE:

Homer.
Ele saiu em busca de novas aventuras, bares, bebidas, comidas (hummmm), mulheres (hummmm 2) e claro, experiencias inesquecíveis que só viajando se consegue. Ah, e idiomas, que por enquanto, já vão 7! E subindo!

Post anterior

Barcelona: La mercé e cervejas

Próximo post

Eventos de turismo desembarcam no Rio!